Primeiro livro já disponível

O Lugar das Árvores Tristes

O Lugar das Árvores Tristes

Escritora

The Killer Book Club

Há momentos que mudam o curso da vida das pessoas. De vez em quando, uma decisão inusitada traz todo um comboio de mudanças, que ninguém esperava. Foi isto que aconteceu dia 28 de Fevereiro, quando decidi criar o The Killer Book Club.

A minha ideia foi simples: reunir um grupo de amantes de policiais, escolher livros bons, debater os livros.

O que aconteceu de facto foi muito além disso: juntei um grupo incrível de pessoas, que criou laços de amizade que já não são laços – são nós!

O grupo original tem quase 80 pessoas. Dessas, cerca de metade são efectivamente activas, lêem os livros, participam nas discussões.

Acontece que essa metade activa é activa muito para além dos livros que lemos. Porque o que aconteceu foi que esta amizade que se criou em torno de páginas a escorrer sangue já é muito mais do que isso. É colo, abraço apertado, gargalhada, confidências, todos os dias, a qualquer hora.

E se, inicialmente, eu decidi que iria fechar o chat diariamente, para a coisa não descambar, rapidamente percebi que o melhor deste grupo era precisamente o facto de… descambar!

Portanto, estamos há quase um ano nisto, nesta amizade entre mulheres (e um homem) onde não há julgamentos, nem cobranças, nem invejas, nem nada disso. Somos cerca de 40 pessoas que gostam muito umas das outras, que dividem angústias e conquistas, lágrimas e gargalhadas. Inesperadamente, estamos sempre lá umas para as outras.

Como quisemos celebrar a amizade e a partilha, em vez de Amigo Secreto no Natal, fizemos ontem o nosso Amigo Secreto de Thanksgiving. E foi o verdadeiro Friendsgiving.

A maneira como cada uma pensou no presente para a sua amiga secreta foi enternecedora. As reacções também.
E, no fim, o que importa é isto: a forma como nos ouvimos, como nos acolhemos, como nos entendemos, como damos tanto de nós, sem esperar nada em troca, mas sabendo que receberemos sempre em igual medida.

Este ano trouxe pessoas incríveis à minha vida e não sei se tomei alguma decisão tão acertada como esta, durante este ano. Sei que ter criado este grupo fez uma diferença enorme na vida destas pessoas que se juntam todos os dias virtualmente. E na minha também!

Sei que gratidão é um conceito batido, mas é isso mesmo que sinto: uma gratidão profunda por ter todas estas pessoas ao meu lado, todos os dias. Obrigada, Killas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  1. Sara Oliveira diz:

    Resta-me apenas dizer: Obrigada!

  2. Angela Pimenta diz:

    Como tantos quilómetros se transformam em centímetros. Sinto-te sempre ao meu lado. Obrigada por teres ouvido tanto e feito tanto!
    Beijo gigante