Primeiro livro já disponível

O Lugar das Árvores Tristes

O Lugar das Árvores Tristes

Escritora

Carta à minha Lia prestes a ser Mãe

My love,

Levamos quase 17 anos desta amizade inteira que nos fez irmãs. Encontrámo-nos noutra vida, num tempo em que éramos duas miúdas cheias de sonhos e de planos por cumprir. Crescemos. Caímos. Voltámos a respirar. Estivémos sempre lá, nos dias bons e nos dias maus. Rimos juntas. Chorámos juntas. Zangámo-nos e fizemos as pazes. Durante estes anos, foste sempre o meu farol. Olho para ti e quero ser como tu. Invejo-te a calma e a ponderação. Invejo-te a clareza de pensamento e a resiliência.

O teu mundo já tombou mil vezes. Tu nunca caíste. Tudo o que perdeste serviu para te pôr no caminho certo. O que, na altura, te pareciam derrotas, era apenas o teu mundo a entrar no eixo certo. Mesmo quando não vias a saída, ela estava lá, à tua espera.

Depois, o teu mundo girou e tornou-se redondo. Chorei quando te vi a barriga a crescer. Chorei quando soube quem trazes aí, antes de tu saberes. Saboreei os pontapés e momentos contigo, no papel de irmã prestes a ser tia.

Estás prestes a cumprir o sonho de uma vida. Tens na barriga o teu amor maior, que vai mostrar-te o que é viver com o coração fora do peito.

Meu amor, it takes a village to raise a child. Viverei sempre na tua aldeia. Estou sempre contigo. Mal posso esperar para conhecer o teu Miguel, meu Jacinto. Está quase. A aventura estar quase a começar. Love you. Both of you!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *